Vamos voltar à escola

Estou acompanhando tudo o que estão falando e protestando esta semana. Participo dos eventos via Facebook, ferramentas de colaboração (Trello), etc. Algumas coisas sempre chamam a atenção.

Não que eu não admire o esforço da pessoa. Admiro muito! Acho até que ela já fez mais do que muita gente, pois consolidou a seguinte lista de reivindicações:“PAUTAS DE REVINDICAÇÔES:

Direitos humanos para todos;
Falta de segurança pública de qualidade;
Baixos salários das policias e dos profissionais da educação e saúde;
Más condutas de policiais que sujam as corporações militares e civis;
Alto preço do transporte público e suas condições precárias;
… Demarcações de terras indígenas e quilombolas e sem terras;
Renascimento financeiro dos fazendeiros por suas terras produtivas
Combate a Intolerância Religiosa;
Combate ao Fundamentalismo Religioso de Lideres e Políticos Evangélicos em detrimento as demais religiões, ateus e minorias em geral;
Combater o Caos da saúde publica;
Combater a Corrupção;
Combater a PEC 37;
Combate a tal Cura GAY;
combater o auto custos e gastos com a COPA;
Retirada dos paquímetros;
Redução dos Salários de Vereadores;
Fim do Café da manhã na Câmara;
CPI da Saúde Pública Local;
Melhorias nos prédios públicos da Saúde e da educação;
Estado Laico e Democrático de Direitos;
Redução de todos os impostos ( Municipais, Estaduais e Federal)”

Como eu disse, é muito mais do que muita gente fez. Mas vamos pensar na lógica dessa pessoa. Leia a lista com cuidado. Temos ali itens “positivos”, que seriam as reivindicações, como “Direitos humanos para todos”, ou “Retirada dos paquimetros (sic)”. Mas existem outros que estão incoerentes com o resto da lista e que poderiam ser reescritos. Exemplo: “Falta de segurança pública de qualidade”. Para tornar mais adequado à lista, eu escreveria assim: “Segurança pública de qualidade”.

Da forma como foi escrito, parece uma mistura de reclamações e soluções propostas. Como eu disse, concordo com grande parte da lista e aplaudo a pessoa que fez (não vou dizer o nome, pois peguei no facebook e não sei se ela mesmo escreveu ou se copiou de algum lugar.. estava sem fonte; acabei de escrever sobre se informar melhor antes de passar uma informação à frente, certo?).

Analise bem a lista novamente, sem preconceitos. Esqueça os erros de português (afinal, Educação não é prioridade nessa lista). Veja os itens que começam com a palavra “combate”. Escrevi neste blog, esta semana, sobre alguns deles. Vamos lá:

“Combater a PEC 37”. O que é mesmo a PEC 37? Ah, é aquela que “deixa mais clara a jurisdição das polícias”. E o MP, nisto tudo, nada. Será que devemos combater a PEC 37 ou fazer com que ela tenha um texto mais claro, que inclua no Art 144 da Constituição o papel do MP nas investigações criminais?

“Combater a tal Cura Gay”. Para quem não sabe, este item se refere à PDC 234/11, onde o Deputado João Campos (PSDB-GO) pede a supressão de dois parágrafos da resolução do Conselho Federal de Psicologia. Pelo menos a pessoa poderia ter colocado o número do processo na sua demanda.

Agora, as minhas opiniões:

“Redução dos Salários de Vereadores”. Só redução? Achei que o correto era rever toda a política de remuneração dos poderes executivo e legislativo.

“Estado Laico e Democrático de Direitos”. Achei que isto já estava na nossa Constituição. Ou será que li o documento errado? Ah, tá.. quis dizer que isso só está no papel… Será? Me parece mais chavão.

“Redução de todos os impostos ( Municipais, Estaduais e Federal)”. Novamente a redução… Não seria melhor lutar pela Reforma Tributária? Redução implica em diminuir as alíquotas, só.

“Combate a Intolerância Religiosa”. Isto não é âmbito parlamentar, afinal nossa constituição nos dá a liberdade religiosa. Quem nos tira essa liberdade é o preconceito das pessoas, não o parlamento.

Para discutir outros itens, precisa de mais clareza e entender o que a pessoa quis dizer. Tem vários itens ali que, com as reformas Política, Tributária, da Previdência e do Judiciário, seriam facilmente solucionados. Hoje até li uma reivindicação pedindo para que se convoque uma nova Constituinte. Tenho minhas dúvidas se o caminho é reformar ou rasgar tudo e começar de novo. Será que temos condições de bancar 1 ano de uma Constituinte com os representantes que temos hoje? Nos quais não confiamos? Se a população não amadurecer, pelo menos ao ponto de conseguir escrever uma lista de reivindicações que contenha somente reivindicações, que não misture reclamações com solicitações de melhoria, será que teremos o resultado esperado de uma Constituinte?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s