A verdade doi, mas nos ajuda a despertar… Será?

Acabei de ler um artigo muito bom da Carta Capital, que fala um pouco sobre os protestos da semana: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/com-partido-nao-da-pra-eleger-presidente-por-enquete-do-facebook-298.html

O autor termina assim: “Por mais jovem, descolado, bonito, bem nascido, bem vestido e até eventualmente bem intencionado que você seja, me desculpe. Sua postura é de um atraso inaceitável. Está servindo, mesmo que involuntariamente, a interesses perigosíssimos. Mais: você não “acordou” coisa nenhuma. Nessa história toda quem está na vanguarda e despertou há tempos é o tiozinho do PCO que você xingou.”

As manifestações estão seguindo um caminho perigoso. Estão brigando contra a imprensa impedindo que ela faça a correta divulgação, ao invés de usá-la para divulgar o correto objetivo da manifestação. Estão brigando com os partidos para que eles não participem, com “medo” de que se torne uma bandeira de algum partido no próximo ano, mas deixando de receber ajuda daqueles que realmente lutam por um país melhor e, para isso, se afiliam a um partido.O medo é uma arma perigosa. Por muitos anos, o medo foi utilizado contra a população que ainda se lembrava da repressão sofrida durante a ditadura militar. Vamos ser justos: a imprensa sofreu muito, também, na ditadura. Imagine você que todo o seu trabalho, antes de ser divulgado, tenha que passar por um revisor que pode alterar todo o conteúdo sem mesmo ter um porquê. Você gostaria?

O período de ditadura militar no Brasil foi um período tenso, com todo tipo de repressão e censura. Por outro lado, foi o período em que a produção cultural brasileira teve o seu ápice. Veja as músicas, artigos de jornal e televisão, livros e tantas outras expressões produzidas nas décadas de 60, 70 e 80. Agora compare com o que temos hoje.

Durante a ditadura militar somente eram permitidos dois partidos políticos: Arena (governo) e MDB (oposição). Hoje temos vários, sim, e daí? Todos eles vieram desses dois partidos! Muitos militantes lutaram durante anos para garantir que a opressão e repressão terminasse. Ela terminou? Talvez ainda não.

Somos uma democracia jovem, temos somente 25 anos. E nesses 25 anos o que foi feito? Qual foi a nossa conquista?

  1. Portal da Transparência do Governo
  2. Sites oficiais das Casas Legislativas
  3. Liberdade de imprensa e verdadeira liberdade de expressão
  4. Superação do medo
  5. Busca pelos direitos individuais e coletivos
  6. Eleições diretas
  7. Acesso à informação (olha a internet aí!)
  8. Ferramentas de fiscalização do governo

Por mais que as pessoas reclamem que não tem informação sobre o que acontece no Governo, temos as ferramentas para isso. Podemos frequentar as Câmaras Legislativas Municipais, Estaduais e Federais nas sessões abertas. As sessões fechadas são filmadas e transmitidas através da TV Câmara e TV Senado. Os sites das casas legislativas publicam diariamente as pautas das comissões, o conteúdo das PL, PEC, PDC e outras. Basta acessar.

O número de CPIs instaurado nos últimos anos é enorme, sim, mas significa que tem gente lá querendo fazer a coisa acontecer. Existe corrupção, sim, mas tem muita gente honesta tentando trabalhar e fazer o nosso país melhor.

Fala-se de manipulação da massa em comícios e através da mídia, mas o que eu vi essa semana foi a elite da população (é, aquela que tem acesso ao facebook e outras redes sociais) manipular as informações, distorcer os fatos e incitar a população a lhes seguir, sem informar quais os reais motivos das manifestações.

Alguns diziam que foi a indignação acumulada que levou todos às ruas. Na verdade não foi isso: foi esperança de que uma nova liderança, séria e incorruptível estivesse nascendo. Uma liderança que não vai deixar passar em branco, que não vai aceitar qualquer esmola para ficar quieta. Isso levou as pessoas às ruas. E muitas se decepcionaram ao ouvir falas como “aqui não há liderança”.

E é decepcionante vê-los falando ao povo ali na frente que eles são contra a imprensa manipuladora, o governo populista, ao mesmo tempo que estão prometendo “passe livre”, gritando falas como “aqui não há liderança, pois a liderança é do povo”. E o mais triste é ver o povo ali repetindo, dando salvas e exaltando alegria para as mesmas falas populistas e aproveitadoras que acreditam estar ali lutando contra.

É difícil falar isto, mas o que estamos fazendo é manipular o povo. Porque a mudança ainda não aconteceu. As pessoas ainda não mudaram, não amadureceram. E para termos voz, precisamos de volume. E para termos volume, precisamos manipular. Dói muito falar e escrever isto, mas é a pura verdade. E pude ver isto ontem na manifestação.

Por mais que as pessoas sejam inteligentes e tenham consciência política, como indivíduos, quando elas se juntam à massa, a consciência coletiva fala mais forte e as pessoas se tornam burras e inocentes. E essa inocência coletiva é que permite a manipulação. Faça um teste, faça um jogral, fale qualquer coisa lá quando as pessoas estão indignadas. Elas vão repetir, mesmo não concordando.

Agora responda: isto vale a pena? Em que você está sendo diferente dos atuais governantes? E afinal, qual o seu foco? Qual o seu objetivo? O que você está realmente fazendo para melhorar o país? Está tentando educar as pessoas ou só as manipulando? Ou pior, está sendo manipulado e nem está percebendo?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s