Aventuras: Washington, D.C.

Dia 1: Viagem com a MegaBus

Pra começar bem o dia, o ônibus deveria sair as 9h mas só saiu as 12h. Resultado, perdi o Terremoto! Engraçado isso, né? A pessoa “perder” um desastre. Mas foi um negócio tão calmo que nem sentimos do ônibus. Se ele não tivesse atravessado, teria tido uma experiência muuito diferente.

Cheguei em Washington perto das 16h. O resultado do terremoto foi a evacuação de TODOS os prédios públicos. Ou seja, tudo estava fechado. ônibus pararam de rodar. Trens e metrô parados. A cidade toda na rua aguardando a polícia liberar os prédios. Nunca vi tanto carro de polícia, bombeiros e ambulâncias juntos ao mesmo tempo – e fora do pátio.

Como eu não podia fazer nada, resolvi caminhar pela cidade até dar o horário para eu ir pra casa do meu host do CS. Caminhei do ponto do MegaBus até a estação central. Sentei num gramado para aguardar liberarem os prédios. Comprei um guia de viagens na livraria da estação e saí pra andar. Estava pertinho do Capitólio, passei pelo prédio e fui até o The Mall. Passei pelo chafariz e espelho d’água na frente do Capitólio. Cheio de patos hehe Lá encontrei um rapaz que trabalha no governo (não lembro qual ministério). Ele percebeu meu ar de turista e veio falar comigo. Me perguntou de onde eu era e quando descobriu que era do Brasil, pediu pra conversar em português, pois queria praticar. Foi um papo bem interessante! Me deu altas dicas dos museus Smithsonianos. Foi muito legal, mesmo!

Dia 2:

Eu não tinha muitos dias pra ficar em Washington. Até porque, a maior atração lá é a “rede” de museus do Smithsonian Institute. Fiquei hospedada muito perto do Capitólio, então não precisei usar metrô no dia seguinte. Tomei meu café da manhã, peguei minha mochila e sai pra caminhar. Minha intenção era fazer os monumentos e memoriais logo no primeiro dia. No final das contas, foi ótimo ter feito isso porque no último dia choveu horrores! Peguei meu mapa e audio tour de Washington e fui seguindo cada monumento e memorial, ouvindo a explicação do audio tour. Altamente indicado fazer isso, porque no audio conta detalhes bem interessantes.

Casa Branca é um desperdício de tempo. Além disso, no dia em que eu fui lá estava um tumulto danado de um pessoal protestando nem lembro sobre o quê. Os memoriais de Lincoln e Franklin são os mais bacanas. Só não puder ver o espelho d’água porque estava em reforma. Era mais um espelho d’lama😛

Os memoriais das guerras são ridículos. Pelo menos pra mim que sou turista e não vivi essas guerras. Para as famílias que perderam alguém nelas deve ser algo especial pois tem os nomes dos combatentes nos murais, livros, etc. O memorial do Vietnã é o maior e mais conhecido, mas também tem da guerra da Coréia, que eu nem sabia que tinha um memorial. O memorial da I Guerra é bem simples. Parece um coreto. Mas o da II Guerra é monstruoso. Fica atrás do espelho d’água e tem uma coletânea de elementos neo-clássicos. Sem audio guide impossível entender todos os significados.

Fui também no memorial da Independência. Esse foi bacana. Principalmente porque fui na época de início de celebração do bicentenário da guerra civil. Eles tem réplicas em tamanho gigante de todas as assinaturas da carta de independência. Fica numa ilha em um lago, próximo do obelisco (monumento a Washington). Também tive sorte porque estavam inaugurando o memorial ao Martin Luther King Jr. Muito bonito por sinal.

Era uma quarta-feira. E quarta-feira é dia de meeting do couchsurfing, em um barzinho perto do Zoológico. Fui até lá pra conhecer o pessoal. Povo muito bacana. Me recepcionaram bem. Com a minha timidez no auge, demorei um pouco para me entrosar, mas no fim deu certo. O rapaz que ia me hospedar me pegou no barzinho e fui pra casa dele.

Dia 3:

Dia seguinte, ele me deu carona até a estação de trem. Ele não morava em Washington. Levou uns 40min pra chegar no centro.

Esse dia estava reservado para fazer o U Street Tour. Até fui até lá, mas a chuva não permitiu. Resolvi voltar para o The Mall e fazer os museus. Comecei pelo Museu do Índio Americano. A dica aqui é ir no museu no período da manhã porque tem um vitral por onde o sol entra no horário da 10-11h e fica lindo! Depois fui ao Museu Aeroespacial. Não pude deixar de comprar comida de astonauta (sorvete) e uma camiseta de souvenir.

Interessante foi encontrar um casal que veio comigo no ônibus de Philli dentro do museu. Mundinho pequeno!

Como estava chovendo muito, almocei no McDonalds dentro do museu. O bacana é que não se paga para entrar nesses museus. Então eu pude entrar e sair várias vezes e rever aquela parte mais bacana. Depois, fui até o Museu de História Americana ver os vestidos das primeiras damas. Acabei entrando em um grupo guiado e vi coisas bem interessantes, como o Dumbo de um brinquedo da Disney World, os sapatos de Rubi da Dorothy e o monumento a Washington original – que foi substituído pelo obelisco depois.

Ao sair do museu, estava uma chuva danada e comprei um guarda-chuva preto na rua, por 5 dólares. O danado é resistente! Outra coisa interessante é que na porta dos museus tem saquinho pra guardar os guarda-chuvas e não molhar o interior dos museus. Enrolei mais um pouquinho no museu e depois segui pra pegar meu ônibus. Como estava ainda com tempo (e agora com sombrinha), passei no Museu dos Correios. Muito legal esse. Lá eu descobri porque chovia tanto. Um furacão estava a caminho (oi Irene!). Eita viagem com emoções! Na fila do MegaBus, uma mulher com duas crianças estava vindo da Carolina do Sul, fugindo do furacão.

Cheguei com tranquilidade em Philly. E fui esperar Irene passar.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s