Livros 2014 #24: Percy Jackson and the Sea of Monsters

Segundo livro da série Percy Jackson & the Olympians: sucks.

Motivo 1: é uma reescrita descarada da obra Odisséia, com muitos toques teen. Para quem não conhece a Odisséia, ou é muito novo pra ler um livro tão denso, vai achar muito bom.

Motivo 2: o autor tentou encaixar a estória do Percy, a rivalidade do Luke, e o desejo do Titã Kronos de retornar ao poder, criando um enredo um tanto quanto ilógico.

Motivo 3: o final não faz o menor sentido!

Motivo 4: para que o final fizesse sentido, o próprio autor descreve a estória de Thalia de maneira diferente do que foi contado no primeiro livro.

Motivo 5: de onde ele tirou que os ciclopes são filhos de deuses? Só porque Ulisses disse que Polyphemus era filho de Poseidon?

Motivo 6: o livro me fez perder a vontade de ler os outros da série…

Livros #2014: #14 First, break all the rules

Excelente livro! Apesar de iniciar com foco na gestão, ele aos poucos muda para a equipe e o indivíduo, falando sobre a postura de cada um de nós no cotidiano profissional.

Uma das primeiras coisas que o autor fala é que devemos quebrar as regras de ouro da administração. Uma delas é a regra de que, para ser justo, deve-se tratar todos de forma igual. Isto é um conceito distorcido. Como se pode ser justo tratando todos iguais, se todos somos diferentes?

Segunda: focar no que a pessoa tem de melhor a agregar, e não nos defeitos/gaps que ela apresenta. Sim, é isso mesmo! Claro que devemos sempre aprimorar, mas focando no que temos de melhor, podemos agregar muito mais do que se focarmos somente no que precisamos aprimorar. E nesta lógica, o autor diz que as pessoas não mudam muito. Então, aí vai a regra: não gaste tempo tentando colocar o que foi deixado de fora, mas invista em tirar o que ficou dentro.

O autor usa um tempo razoável do livro falando sobre talento e o que é um profissional talentoso. Ele dá vários exemplos comparando um profissional excelente de um comum. Um exemplo que eu gostei muito foi o da Enfermeira. Segundo a pesquisa realizada, o que diferencia a Enfermeira excelente da comum é que a primeira se envolve emocionalmente com o paciente, sem que isto afete seu julgamento. Ou seja, ela entende o sofrimento que o outro está passando e o ajuda a passar por isso. O exemplo do livro foi o seguinte: um grupo de pessoas precisavam retirar uma amostra de sangue para exames e foram atendidos por duas enfermeiras: a primeira (considerada excelente) dizia, pouco antes de colocar a agulha no braço, que sabia que iria doer, mas que faria o máximo para reduzir o desconforto; a segunda, dizia que não doeria nada. Na visão do paciente, a primeira entendeu a dor que ele sentiria, e fez o que pode, tanto que doeu menos. A segunda, mentiu pois houve dor experimentada.

Ao final, ele nos dá algumas chaves para o sucesso:

  1. Procure talentos no momento de contratação. Não contrate somente porque o candidato é bom no que ele faz (tecnicamente), mas porque ele tem talento para o trabalho
  2. Deixe claro a expectativa sobre o resultado do trabalho
  3. Foque nas habilidades fortes
  4. Encontre a melhor posição para a pessoa dentro da empresa

Aqui está uma apresentação que encontrei no SlideShare que resume muito bem o livro:

Receitas: Lombo na cerveja

Tentei uma receita bem diferente: Lombo na cerveja. Super simples, como as demais receitas que eu preparo rs Aqui estão os ingredientes:10322738_708419729222454_3459077686124861185_n

  • 500g de lombo, em cubos
  • 1/2 lata de cerveja clara
  • sal e pimenta a gosto
  • água
  • 2 dentes de alho, picados
  • 1 cebola pequena, picada

Tempere o lombo com sal e pimenta do reino e reserve. Refogue a cebola e o alho no azeite. Adicione na refoga o lombo e deixe refogar bem. Adicione a cerveja e água até cobrir a carne. Cozinhe na pressão por 20min. Drene o líquido e sirva com batatas coradas.

Receitas: Clam Chowder (versão brasileira)

Depois de muito sonhar com essa receita, decidi fazer aqui em casa. Mas, como estamos no Brasil, algumas adaptações foram necessárias. O vídeo da receita original está aqui. O modo de preparo é super simples e dá pra seguir tranquilamente na receita.

E aqui está a minha adaptação:

10255646_707938972603863_1068622682409368708_o

  • Vongole congelado (no lugar das clams)
  • Salsão (no lugar do aipo, porque não encontro aipo assim facilmente)
  • Creme de leite fresco 35% de gordura (no lugar do half-and-half)
  • Vinagre branco (era o que tinha)
  • Farinha de trigo branca
  • Manteiga com sal
  • Caldo de camarão

A receita original usa clam juice. Nem cheguei a procurar aqui. O que eu fiz foi ferver água e jogar sobre o vongole, para pré-cozinhar. Essa água eu filtrei (só porque achei que poderia ter areia) e misturei ao caldo de camarão. Pronto! Clam Juice substituído.

A minha chowder não ficou tão cremosa quanto no vídeo, mas isso é por conta do creme de leite, que é mais ralinho que o half-and-half. Mas ainda assim ficou super gostoso. Taí a carinha dele:

10314633_707964832601277_1125036290739207803_n

Dicas:

  1. Gostei do vongole, mas ele é muito miudinho. Na próxima vou testar um mexilhão maior
  2. Eu gosto mais cremoso, então vou colocar menos creme de leite da próxima vez
  3. O caldo de camarão misturado com a água do cozimento do vongole ficou bom. Isso fez com que o chowder não ficasse tão forte de sabor. Se gostar mais forte, sugiro colocar um caldo mais concentrado.

 

Livros 2014: #13 As armas da persuasão

Excelente livro! Logo no início o autor explica que a intenção é ensinar o leitor a se proteger de algumas armadilhas que os profissionais da persuasão (título que o autor dá para quem trabalha principalmente com vendas e marketing).

Ele fala de seis tipos de técnicas: reciprocidade, compromisso e coerência, aprovação social, afeição, autoridade e escassez.

O autor mostra vários exemplos de como essas seis técnicas podem ser usadas para nos convencer a fazer algo que não queremos.

Continue reading

Livros 2014: #12 How to give exceptional customer service

Outro grande livro da escritora Lisa Ford. O audio que eu ouvi é extremamente curto: 25min. Mas crucial! Ponto principal: o atendimento ao cliente é dividido em duas partes – inner circle e outer circle.

Inner circle

No círculo interno está tudo o que todas as empresas do ramo tem. Ou seja, não tem nada de diferente! É onde você é igual a todo mundo: escritório, sistemas informatizados, atendimento pessoal e/ou eletrônico, site, equipe comercial, etc.

Não dá pra investir muito nisso – ou melhor, não é o local onde o investimento vai gerar maior retorno. Todo investimento no inner circle é estrutural, para dar suporte ao outer circle.

Outer circle

É aqui que devemos investir mais energia. O outer circle é o que diferencia sua empresa das demais. Neste âmbito temos o que o cliente realmente vê do seu atendimento. Um exemplo que a autora dá é sobre o atendimento de saúde. Quando vamos ao médico, não temos conhecimento para avaliar a expertise do profissional, ou seja, o inner circle. Mas avaliamos tudo o que está no outer circle: material que ele utiliza no atendimento, qualidade dos equipamentos, conforto da sala de espera, atenção com que ele conversa (se fala rápido, com pressa, ou se está totalmente disponível para ouvir você).

Outro conceito de outer circle que ela apresenta é o de up sell cross sell. Entender o que seu cliente precisa e oferecer isso a ele: não somente o que ele procura! Exemplo da autora: ligação para McGraw-Hill para encomendar um livro; a atendente diz que não tem em estoque, mas tem disponível dois outros livros que podem ser do interesse. Bingo! Compra de um artigo que nem estava procurando, mas relacionado com o que ela procurava.

O quanto fazemos isso no dia-a-dia? Tentamos mesmo entender o que o cliente precisa? Ou simplesmente vendemos o que ele pediu?

Livros 2014: #11 Beyond good and evil – Nietzsche

Excelente livro. Extremamente profundo. Com certeza precisarei ler mais umas duas vezes (no mínimo!) para entender toda a profundidade do conteúdo.

Várias partes extremamente interessantes, que valem a leitura. Nietzsche começa divagando sobre o conceito de “espírito livre”. O que as pessoas que se classificam assim são, em realidade? Quais as suas características, ou seja, como as distinguimos das demais? Extremamente awesome!

E os dois capítulos que eu mais gostei foram sobre as virtudes e o conceito de nobreza. Ele começa esse capítulo questionando o que é nobreza nos dias de hoje. E repitamos a pergunta: o que significa ser nobre hoje (2014)?